Nossa Igreja

Vivemos na maior região metropolitana do Brasil. A cidade de São Paulo é a metrópole brasileira mais influente no cenário mundial, além de ser o maior centro financeiro da América Latina. Apesar dessa grandiosidade, morar em São Paulo é um grande desafio.

Todos os dias enfrentamos congestionamentos, os efeitos da poluição, a violência, a propagação das drogas e hostilidade das pessoas que aqui vivem. Em meio ao contraste do luxo e da miséria, muitos sofrem com a depressão e solidão.

Diante de todos esses problemas, a Igreja Evangélica Congregacional do Ipiranga tem como propósito compartilhar o amor de Deus com os habitantes dessa grande cidade.

Para isso, encorajamos nossos membros a viver em missão no mundo e proporcionar um ambiente amistoso e acolhedor, onde as pessoas poderão conhecer o Evangelho; relacionar-se com Deus através de Jesus Cristo e desenvolver amizades com outras pessoas que possuem esse mesmo desejo.

Missão da IECI

Amar a Deus, amar ao próximo e fazer discípulos de Jesus

VALORES
CREMOS
NOSSA HISTÓRIA
CONGREGACIONALISMO
VALORES

A Palavra de Deus – Mt 28:19-20 e 2 Tm 3:16-17
O Sacerdócio Universal dos Crentes – 1 Co 12:7, Ef 4:11 e Rm 12:3-8
A Valorização da Família – Dt 6:7-9, Ef 5:22–6:4 e 1Pe 3:1-7
Os Relacionamentos Significativos – Mt 22:37-40 e 1 Co 13:1-10
Os Pequenos Grupos – Mt 18:20 e At 2:46-47
O engajamento pessoal e comunitário em Missões – Mt 28:19-20 e At 1:8
A Oração – At 2:42 , Ef 6: 18-19 e Tg 5:13-16
O Serviço Social – Lc 10:25-37, Mt 25:31-40 e Tg 2:14-17
O Colegiado de Líderes- At. 6:2, 1 Tm 3:1-12 e Tt 1:5-9
A Busca da Excelência – Cl 3:16-17

CREMOS

A Bíblia é a palavra de Deus inspirada, inerrante e infalível.
Há um só Deus que subsiste eternamente em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo.
Deus Pai é todo poderoso, criador dos céus e da terra.
O Senhor Jesus Cristo é verdadeiramente Deus e homem em uma só pessoa. Foi concebido pela obra do Espírito Santo, nasceu de uma virgem, teve uma vida perfeita, morreu pelos nossos pecados e ressuscitou dos mortos. Foi assunto aos céus e voltará pessoalmente em poder e glória.
O Espírito Santo convence o mundo do pecado. Habita permanentemente nos cristãos, dando-lhes dons espirituais e capacitando-os a viver em santidade.
Todos os seres-humanos são pecadores por causa do pecado de Adão e de suas próprias experiências pessoais. Os homens, portanto, são incapazes de redimir e salvar a si mesmos.
A salvação se dá unicamente pela graça de Deus. A vida eterna é recebida pela fé; isso acontece quando uma pessoa confia unicamente na pessoa e obra redentora do Senhor Jesus Cristo.
Haverá a ressurreição dos salvos e dos perdidos, os salvos ressuscitarão para a vida eterna e os perdidos para a condenação eterna.
A Igreja é o Corpo de Cristo composta por todos os verdadeiros discípulos de Jesus. Sua missão é pregar o Evangelho, demonstrar o amor ao próximo e, manifestar o reino de Deus sendo “sal da terra” e “luz do mundo”.
Cada cristão tem a missão de “ser uma testemunha de Cristo” e de “fazer discípulos de todas as nações”.

NOSSA HISTÓRIA

A Igreja foi formada por um grupo de crentes comprometidos, tementes a Deus, que vindos de diferentes localidades começaram a se reunir em uma residência na Rua das Chácaras para cultuarem a Deus e estudarem a sua Palavra sob a liderança do presbítero Carvalho.

Como Igreja organizada, a Igreja Cristã Evangélica de Moinho Velho, passou a se reunir à Via Anchieta,1182 e em pouco tempo adquiriu uma propriedade na Rua Regino Aragão, 556, Moinho Velho, Ipiranga, São Paulo, onde se reúne até o presente momento.

Em 1968, a Igreja passou a chamar-se Igreja Evangélica Congregacional de Moinho Velho, filiando-se a U.I.E.C.B. (União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil).

A Igreja desvinculou-se da U.I.E.C.B. em 1999, tornando-se independente, mas conservando os princípios bíblicos, eclesiásticos e administrativos do governo congregacional.

Em 2003, com objetivo de facilitar sua identificação, a Igreja passou a denominar-se “ Igreja Evangélica Congregacional do Ipiranga”.

Pastores que serviram nossa Igreja:

José Gonçalves Pacheco
Camilo Fernandes Costa
Eliel de Almeida Martins
Moisés Rodrigues da Silva
Diocleciano Cavalcante
Moisés das Neves Farias
Davi Nunes dos Santos
Girval Trevisan da Silva
Carlos Alberto Fernandes da Silva
Jader José de Oliveira
Alexandre Masashigue Sasaoka de Souza
Girval Trevisan da Silva
Alan Samuel Szymanski Arguello (Atual)

CONGREGACIONALISMO

As igrejas congregacionais tem suas origens na reforma protestante da Inglaterra entre o final do século XVI e início do século XVII. Essas igrejas eram chamadas inicialmente de independentes, isso se deve ao fato delas serem separadas da igreja nacional Anglicana. Esta, apesar de romper com a Igreja Católica Apostólica Romana e o Papa, mantinha a mesma estrutura eclesiástica episcopal. As igrejas congregacionais entendiam que cada comunidade local de fiéis é uma igreja completa e autônoma, e que por essa razão, não deveriam sujeitar-se a qualquer entidade ou autoridade externa. Segundo seu entendimento, as igrejas deveriam estar ligadas umas as outras apenas pelo espírito cristão e o desejo de praticar a mútua cooperação.

O termo congregacional foi usado pela primeira vez na fundação da Igreja de Salém nos EUA em 1629 e mais tarde foi adotado nas igrejas independentes na Inglaterra.

As igrejas congregacionais no Brasil não possuem nenhum vínculo denominacional com o congregacionalismo britânico ou norte-americano, e também não devem ser confundidas com as “congregações cristãs do Brasil”. A origem do congregacionalismo brasileiro encontra-se no trabalho missionário do médico escocês Robert Reid Kalley e de sua esposa Sarah Poulton Kalley, que chegaram ao Brasil em 1855.

Robert Kalley pertencia à igreja presbiteriana escocesa, porém, seu ministério missionário no Brasil não possuía nenhum vínculo denominacional. As igrejas fundadas por Kalley não eram presbiterianas, antes eram comunidades autônomas, de governo democrático e que não praticavam o batismo infantil.

Em 11 de julho de 1858, Kalley organizou a Igreja Evangélica Fluminense na cidade do Rio de Janeiro. A igreja congregacional, portanto, é historicamente a primeira igreja evangélica genuinamente brasileira com cultos celebrados em português.

Kalley conquistou inúmeros direitos para os protestantes junto ao imperador D. Pedro II. Antes disso, os protestantes eram proibidos de ingressarem no serviço público, terem seus casamentos reconhecidos e serem sepultados em cemitérios oficiais. Com a abolição de tais restrições, a comunidade protestante pode professar livremente sua fé no Brasil.

As igrejas fundadas por Kalley receberam apenas o nome de “evangélicas”. Foi só em 1913 que as igrejas originadas do trabalho de Kalley se associaram e formaram a União de Igrejas Evangélicas Indenominacionais do Brasil, que mais tarde foi chamada de União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil.

Facebook
YouTube
Instagram