18 de novembro de 2015

Congregacionalismo

  • As igrejas congregacionais tem suas origens na reforma protestante da Inglaterra entre o final do século XVI e início do século XVII. Essas igrejas eram chamadas inicialmente de independentes, isso se deve ao fato delas serem separadas da igreja nacional Anglicana. Esta, apesar de romper com a Igreja Católica Apostólica Romana e o Papa, mantinha a mesma estrutura eclesiástica episcopal. As igrejas congregacionais entendiam que cada comunidade local de fiéis é uma igreja completa e autônoma, e que por essa razão, não deveriam sujeitar-se a qualquer entidade ou autoridade externa. Segundo seu entendimento, as igrejas deveriam estar ligadas umas as outras apenas pelo espírito cristão e o desejo de praticar a mútua cooperação.
  • O termo congregacional foi usado pela primeira vez na fundação da Igreja de Salém nos EUA em 1629 e mais tarde foi adotado nas igrejas independentes na Inglaterra.
  • As igrejas congregacionais no Brasil não possuem nenhum vínculo denominacional com o congregacionalismo britânico ou norte-americano, e também não devem ser confundidas com as “congregações cristãs do Brasil”. A  origem do congregacionalismo brasileiro encontra-se no trabalho missionário do médico escocês Robert Reid Kalley e de sua esposa Sarah Poulton Kalley, que chegaram ao Brasil em 1855.
  • Robert Kalley pertencia à igreja presbiteriana escocesa, porém, seu ministério missionário no Brasil não possuía nenhum vínculo denominacional. As igrejas fundadas por Kalley não eram presbiterianas, antes eram comunidades autônomas, de governo democrático e que não praticavam o batismo infantil.
  • Em 11 de julho de 1858, Kalley organizou a Igreja Evangélica Fluminense na cidade do Rio de Janeiro.  A igreja congregacional, portanto, é historicamente a primeira igreja evangélica genuinamente brasileira com cultos celebrados em português.
  • Kalley conquistou inúmeros direitos para os protestantes junto ao imperador D. Pedro II. Antes disso, os protestantes eram proibidos de ingressarem no serviço público, terem seus casamentos reconhecidos e serem sepultados em cemitérios oficiais. Com a abolição de tais restrições, a comunidade protestante pode professar livremente sua fé no Brasil.
  • As igrejas fundadas por Kalley receberam apenas o nome de “evangélicas”.  Foi só em 1913 que as igrejas originadas do trabalho de Kalley se associaram e formaram a União de Igrejas Evangélicas Indenominacionais do Brasil, que mais tarde foi chamada de União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil.