Estudo PG 02 – “Vida Cristã”

O que estou fazendo com a minha vida?  Reflexão em Eclesiastes

Introdução

-Quantas vezes você já fez esse exercício de reflexão buscando uma solução porque já não mais aturava a situação ou por motivo de orgulho? (reflita por um momento)

-Conquistas, metas, superações, momentos felizes, momentos tristes, inquietações, descontentamentos, decepções, desastres, perdas; normalmente são parâmetros para avaliarmos como temos levado nossa vida. Talvez, os pontos negativos normalmente recebem maior atenção pois não estamos dispostos a lidar com eles, logo querendo tirá-los, acabamos dando muita ênfase.

-Esse tipo de pensamento fez com que Salomão refletisse sobre a vida observando o porquê as pessoas viviam o que viviam e pelo que faziam o que faziam. Logo, lendo um pouco mais do Livro de Eclesiastes percebemos que muitas coisas movem o homem, mas no fim estas coisas não passam de interesses próprios, como vaidades e Salomão nos define que é como correr atrás do vento. Queremos muitas vezes como ele descobrir o sentido da vida.

 

Trabalho e Riqueza como sentido da vida(Líder, ler com antecedência cap. 5,6)

  • O que tem motivado ao trabalho incessante?; Vale a pena este desgaste por fortunas que acabam custando a saúde e todo tempo de sua vida? (Ec 1.3-11)

O trabalho é dado por Deus e é uma dádiva desfrutar do que trabalhou e isto é visto como benção

(Ec 3.13; 5.12,18,19), mas a ambição faz com que não saibamos desfrutar da maneira certa, esta benção da vida, e com isso acabamos perdendo a vida atrás de fortunas que talvez não desfrutemos

(Ec 5.10,11,16,17). Por isso em Cap  6.6 e 9 Salomão exorta ao contentamento e sabedoria com que se possui.

 

  • Os Prazeres como sentido da vida (Ec 2)

Disse a mim mesmo: “Venha, vamos experimentar o prazer; vamos procurar as coisas boas da vida!” (Ec 2.1ª)

Nessa busca por saber qual o sentido da vida, o prazer próprio pode ser uma válvula de escape. Este prazer pode ser alimentado por diversas fontes que muitas vezes não é o próprio Deus, dentre elas o trabalho e as riquezas já mencionados além das posses e a outras coisas que podem estimular a dependência como “o vinho e concubinas”.

Salomão percebeu que até as coisas que mais poderiam lhe proporcionar satisfação eram limitadas e não lhe completariam, em alguma hora lhe trariam desânimo e chegaria à conclusão que estaria buscando algo inútil.

Ter de tudo pode lhe proporcionar o nada – Salomão experimentou do prazer e percebeu que isto não era o verdadeiro sentido que procurava.

 

3- Não perca seu tempo, ele também tem limite-(Ec 9.1-12)

-Salomão se dedicou a pensar no tempo que temos em vida.

-Talvez algumas motivações em nossas vidas refletem o medo de conquistar tudo do melhor, a todo custo, sem mensurar os prejuízos por conta da morte. Uns querem dar o melhor para sua família enquanto tem seu vigor, mas negligenciam muitas outras coisas mais relevantes que os bens como desfrutar da sua família, ou da sua esposa, de seus bens (Ec 9.8-10).

Uma coisa é certa, nossos dias têm um fim. E assim como é incerto este dia, estamos propensos a sofrer alguns outros problemas durante a vida independente do que o que as ocasione (Ec. 9.11.12).

O verdadeiro sentido da Vida (Ec 11.7- 12.13)

 

-A vida deve ser desfrutada responsavelmente com o temor a Deus, este é o propósito final do homem; temer a Deus, ele que julgará cada ação e pensamento humano, é o único meio pelo qual a vida pode ser realmente aproveitada, em vez de simplesmente aturada (Ec 12.8-14).

 

“Aqui termina meu relato. Esta é minha conclusão: tema a Deus e obedeça a seus mandamentos, pois esse é o dever de todos. 14 Deus nos julgará por todos os nossos atos, incluindo o que fazemos em segredo, seja o bem, seja o mal.”  (Ec 12.13,14)

 

-Não adianta tentar buscar prazeres que não procedam da fonte de toda sabedoria, alegria, providência e vida verdadeira só vem de Deus. Deus quer nosso temor e obediência à ele e todo aquele que busca em lugares que não seja esta fonte está opostamente relacionado a vontade de Deus.

-Após Salomão avaliar todas as ambições humanas, as posturas que são tomadas, além de tudo ao que o homem está sujeito em sua vida, constatou que era como correr atrás do vento.

-Não havia fundamento suficiente para se sustentar a parte do Temor do Senhor.

 

Conclusão:

Talvez em sua reflexão de como tem levado sua vida perceba que o temor a Deus não tem sido seu fundamento, mas seus próprios interesses, seja eles em seu trabalho ou ambições que não refletem o temor e confiança em Deus, coloque diante Deus sua postura e confie plenamente nele como forma de adoração a ele.

-Até nas pequenas atitudes temos que temer a Deus.

-Desfrutaremos do melhor pela confiança na provisão divina.

-Deus nos proporciona família, sustento, alegria e prazer. Aproveitemos dessas bençãos que ele tem nos dados.

-Devemos depender de Deus, nada que façamos por nossas forças nos leva a uma vantagem em nossa vida.

 

Oração

Que a IECI se fortaleça no temor a Deus com o exemplo da igreja em Atos 9.31

Facebook
YouTube
Instagram